Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

LIDO COM INTERESSE – 27

 

 
 
Título: PORTUGAL TRADUZIDO
Autor: John August de Castro Pereira Wolf
Editores: Zaina Editores
Edição: 1ª, Maio de 2008
 
 
Se quisermos ouvir dizer bem de Portugal, ouçamos um estrangeiro; se quisermos ouvir dizer mal, ouçamos um noticiário feito por jornalistas portugueses.
 
E porquê?
 
Porque o estrangeiro compara Portugal com o que sucede lá fora, por esse mundo além, enquanto que o jornalista português se dedica a referir o negativo fronteiras adentro. E fá-lo para explorar a morbidez e a inveja tão acicatadas pelo discurso político de que tudo é devido a todos, de que tudo possuir é um «direito irreversível e inalienável das conquistas de Abril». E há impuros que se dedicam afanosamente à sonegação desse direito que devem ser publicamente denunciados, perseguidos e penalizados. Lembram os tempos da Inquisição, do pelourinho, da denúncia por polícia política ou da higiene alimentar. Se se trata ou não de calúnias, isso é o que menos importa pois a Justiça foi posta em estado de hibernação e entretanto as audiências televisivas subiram e a publicidade pagou.
 
Mas haja esperança pois os nossos problemas têm solução.
 
Disso trata o PORTUGAL TRADUZIDO em que o Autor, John Wolf, formalmente americano, faz uma apreciação crítica da nossa sociedade onde ele próprio se integra há uma vintena de anos e levanta questões a trás de questões. Mas mais do que «levantar lebres», aponta caminhos para que nós próprios consigamos caçá-las e não seremos dois os portugueses de berço que faremos uma leitura igual de texto tão importante para todos os que queremos encontrar um rumo no desnorte a que temos sido votados.
 
E se a Moral é a questão dos princípios e a Ética é a dos factos, então o PORTUGAL TRADUZIDO é um livro eminentemente ético que deve ser lido com muita atenção porque não se lhe encontra uma palavra a mais nem outra a menos. Magro de adjectivos, dá para nos pôr a pensar por nós próprios, não nos impõe um raciocínio específico.
 
E se para nos analisarmos é fundamental dispormos de espelhos em que nos possamos mirar de corpo inteiro, melhor é quando o podemos fazer por ordem alfabética. Sim, o Autor percorre todo o alfabeto incluindo as antigas letras espúrias KWY dando-nos para cada uma delas um tema apropriado em que nos revemos «enfiando alguns barretes».
 
Este livro é uma realística crítica social que o Autor pincela às vezes com leves traços queirozianos mas nunca de forma jocosa. E se Eça de Queiroz foi um português que viveu no estrangeiro e nos viu de longe, o John Wolf é formalmente um estrangeiro que nos vê de perto. De tão perto que dá para nos esquecermos de que é americano. Mas nas críticas que nos tece está implícito um enorme gosto por tudo o que é português.
 
Leitura de grande utilidade para nos corrigirmos tão rapidamente quanto possível. E tentemos provocar aquela vaga de fundo que tarda para sublimação dos nossos males, não necessariamente pecaminosos mas certamente entorpecentes do desenvolvimento por que todos ansiamos.
 
Só me pergunto como terá o Autor em 20 escassos anos conseguido ver tanto do que nós não topámos em quase 850.
 
Livro a não perder por quem tem cabeça para algo mais do que para usar chapéu.
 
 
Lisboa, Junho de 2008
 
Henrique Salles da Fonseca

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D