Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

CRÓNICAS DO BRASIL

O  desenvolvimento  negativo

 

Ultimamente tem-se falado muito no Brasil: a destruição da Amazônia, o teórico pagamento da dívida externa, a quase inesgotável capacidade de produção de alimentos e a liderança (?) no etanol. Também se comenta que por aqui morre mais gente assassinada do que no Iraque, mas a isso a imprensa mundial não liga muita importância porque já entrou no trivial.

Agora com esta crise mundial que, segundo os entendidos, fez desaparecer, como por encanto, talvez mais de 3 trilhões de dólares que circulavam (circulavam?) nos mercados financeiros, e com a infame especulação em torno do valor dos alimentos, o Brasil, com medo da inflação, voltou a aumentar os juros básicos, que regem ou deviam reger o desenvolvimento.

A diferença não foi muito grande, mas suficiente para mostrar que de economia, por aqui, quem sabe alguma coisa são as donas de casa que têm que se governar com o salário, magro, na maioria, que recebem, elas ou os maridos.

Não há dúvida que o povo tem comprado mais. Para ele o dinheiro não tem valor, e desde que possa pagar em prestações... está tudo bem.

Continuamos a ter a maior taxa real de juros do planeta – veja o quadro abaixo – e assim os especuladores preferem aplicar na ciranda financeira a investir na produção, e o governo, perdão, desgoverno, deixa crescer a dívida interna (e externa, mas camuflada na interna, porque da interna o povo nada entende, como... ) que já está muito perto do valor total do PIB nacional!

O big líder que tudo quanto fez até hoje, desde que assumiu o cargo maior, foi comprar um Airbus e viajar em permanente comício, a mentir descaradamente a um público babaca que não se dá conta de que não se investiu um centavo em infra-estruturas e que em NADA tem melhorado a educação.

Feliz e contente, afirma que “a melhor coisa do mundo é ser presidente do Brasil”, diz que telefona ao Bush e o trata por “Ó meu fio, cai na tua e dêxa a gente”, e acaba de criar a 27ª diretoria do Banco do Brasil para a preencher com mais uns quantos cargos de apaniguados.

Não se faz uma reforma de base, deixa-se o MST fazer a baderna que quiser, destruindo propriedades e assaltando edifícios públicos, permite-se que guerrilheiros das FARC dêem instrução subversiva a diversos grupos de falsa capa social, não se coadunam as despesas com as receitas, porque tudo isto custa em popularidade e o PT está louco para seguir por aqui o exemplo do paranóico Chavez para se perpetuar no governo.

Tem sido um bodo! A devastação dos dinheiros públicos é incomparavelmente mais danosa do que a da floresta amazônica.

Há dias a PF (Polícia Federal) “descobriu” uma ladroagem de 280 milhões de reais na Assembléia Legislativa do Estado de Alagoas. Só nesse Estado. Com este dinheiro poderiam ter-se construído 10 ou 20.000 boas casas populares, dando muito trabalho a muita gente. E tudo vai “ficar por isso mesmo” sem que se condenem os vagabundos ladrões, nem que se os obrigue a devolverem o que roubaram.

Os bancos riem à toa. Mais ainda com a crise mundial que ainda aqui não chegou. Os seus lucros são fabulosos, ofensivos, imorais.

Mas com taxas como estas

            -          Ao comércio                            102,82 % aa

            -          Cartão de crédito                     228,17 %

            -          Cheque especial                       145,46 %

            -          Crédito direto ao consumidor    43,41 %

            -          Empréstimo pessoal bancos       87,12 %

            -          Empréstimo financeiras             259,03 %

 

alguém acredita que o Brasil vai para a frente? Mesmo com a imensa capacidade de produção agrícola e com os preços absurdos dos produtos base?

Mas há que lembrar que a agricultura vive de créditos! E está mais endividada do que Jó na barriga da baleia!

Quando menos se esperar a bomba estoura. E não vai ser o Padim Ciço nem a Senhora da Aparecida que nos vão salvar.

Cícero Romão Batista

 
Padre Cícero Romão Baptista (1844-1934), aliás Padim Ciço

Se os que detém o poder só querem salvar as suas bolsas... as almas que as carregue a barca de Caronte!

E nós?

Nós, quem?

 

Rio de Janeiro, 26 de Abril de 2008

Francisco Gomes de Amorim


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D