Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

O Chá e a língua portuguesa

 

 

T

Tchá- Mandarim, Japão

Tê - dialeto chinês Amoy

 

Chá – em português

Thé – em francês

Tea- em inglês

Té – para o espanhol

Thee- para o alemão

Tchai- para o russo

 

 

 

 

Mais que aplacar a sede, refrescar o espírito, dar-lhe forças e animo, olvidar as tristezas, abafar a consciência e até matar, a bebida , de acordo com a escolhida , tomou ares culturais e até religiosos. Se o Ocidente elegeu o vinho, elevando-o à divindade de Baco e de Jesus Cristo, no Oriente o chá cresceu com a civilização, foi sinal de introspecção, associado à meditação e usado socialmente em rituais de educação e sociabilidade.

 

A Portugal chegou no séc. XVI com os navegantes e jesuítas, que pelas terras do Sol Nascente andavam há tempos. Não foi muito valorizado.  Os portugueses já conheciam os chás de hortelã, de funcho, de losna,... (desculpem-me os chazeiros – amantes de chá-,... as infusões de hortelã, de funcho, de losna,...), mas preferiam o chá de parreira (o vinho). Nossos antepassados acharam que as folhas trazidas da Índia e Macau eram verdadeiras chazadas (não valiam nada). Não o apreciaram como os anglo-saxões, que fizeram dele uma mercadoria de grande importância econômica e um hábito alimentar: o chá das cinco. Costume adquirido no Convento onde foi educada a princesa portuguesa D.Catarina, e que o levou para a corte inglesa, quando casou com Charles II, rei da Inglaterra.

 

Oferecer chá tornou-se sinal de cortesia e delicadeza. E, ironicamente, adquiriu sentidos chulos ou figurados na boca popular. Se uma pessoa apresentava socialmente modos grosseiros ou pouco elegantes, ela tinha falta de chá (educação). E com certeza era digna de se dar um chá (censura). Aos indivíduos rebeldes e de maus bofes aplicava-se, no momento exato, um bom chá de marmeleiro (surra). Mas se alguém “caía” doente, com febre ou prisão de ventre, a receita certa era um chá de bico (clister).

 

No Brasil as moças (raparigas) detestam tomar chá de cadeira (ficar sentadas sem serem convidadas para dançar) nos chás dançantes (bailes). Mas bom mesmo é comer as deliciosas roscas, bom- bocados, biscoitinhos de nata, casadinhos, nos chás de caridade que as primeiras damas da sociedade dão em benefício de alguma entidade carente. 

Reunir as amigas para despedida de solteira, num chá de panela para ganhar utensílios de cozinha ou para ganhar roupinhas de bebê, mamadeira, sapatinhos, num chá de berço, é mais que um momento de amizade e confraternização, nos nossos difíceis dias, é um meio de fazer economia!

 

Maria Eduarda Fagundes

Uberaba, 14/01/08

 

Dados:

O livro do Chá (J. Duarte Amaral)

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contador


contador de visitas para site

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2004
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D