Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

CRÓNICA DO BRASIL

Somos todos brasileiros

 

Manuel de Borba Gato

(1649-1718)

 

No tópico Ponto de Vista, o professor e administrador Stephen Kantz escreve periodicamente para a revista Veja assuntos sempre interessantes e instrutivos. Em recente artigo, dá uma definição do que seria certo para nomear o indivíduo nascido no Brasil. Segundo ele deveríamos ser chamados brasilianos, como americanos, mexicanos, venezuelanos,..., e não brasileiros, sufixo que indica profissão, como jornaleiro, ferreiro, padeiro. Diz ainda que por mais de 500 anos o país foi enganado e que brasileiros eram aqueles que vinham unicamente para explorar a nova terra e voltavam com riquezas arrancadas do Brasil.

Até como uma forma didáctica de ensinamento, entendo que ele passe essa ideia figurada de exploração, para identificar o brasileiro corrupto e egoísta de agora. Mas gostaria de lembrar que, no tempo do Brasil Colónia, brasileiros também eram o português que cá nascia e se criava e o português que ficava, desbravava, colonizava, e que morria pela terra conquistada. A maioria dos portugueses que vinha, deixava casa e família, e até vendia o que tinha para investir aqui.

Quantos luso-brasileiros, alguns nobres à procura de riqueza e fama, outros homens comuns, em geral aventureiros à procura de uma nova vida, perderam tudo e até a vida nas travessias atlânticas e na ocupação do novo mundo? Para o bem e para o mal, não podemos ignorar que foram eles que abriram caminho para o país de hoje. Venceram as barreiras do mar, da língua e do inóspito território. Fizeram picadas na floresta e espaços físicos e comerciais, fundaram vilas e cidades.  Se levaram riquezas, exploradas a duras penas, também é verdade que propiciaram os plantios de novas plantas, difundiram produtos do novo mundo pelo velho continente e iniciaram as miscigenações e as trocas comerciais. Alguns voltaram ricos, outros pobres e doentes, muitos não voltaram. Mas o certo é que a maioria ficou e com os colonos continentais e açorianos, índios e africanos, a trancos e barrancos, formaram este imenso país. Não vamos colocar a culpa das nossas actuais mazelas nos primitivos brasileiros. Como os anglo-americanos e puritanos que ocuparam a terra norte-americana matando e exterminando as sociedades nativas indígenas, eles também não foram santos. Mas nestes 500 anos muitas gerações já se passaram, muitas outras miscigenações já se fizeram, muitas influências estrangeiras já aconteceram para que se culpe os brasileiros de outrora pelo mau comportamento e desempenho do brasileiro de agora.

 

Só quando enxergarmos e aceitarmos a nossa identidade, com objectividade e verdade, e entendermos que qualquer que seja a nossa origem a solução para os nossos problemas não está na genética e sim na valorização da educação. Aí sim, seremos cidadãos com certeza, brasilianos ou brasileiros, não importa a profissão.

 

Maria Eduarda Fagundes

Uberaba, 12/01/08

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contador


contador de visitas para site

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2004
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D