Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

LIDO COM INTERESSE – 22

 

Detalhes do Livro 

Título: Mandela

Autor: James Gregory & Bob Graham

Tradutores: Maria João Diniz e João Paulo Diniz

Editores: Casa das Letras

Edição: 1ª, Setembro de 2007

 

 

Como notas prévias, tenho a referir que acho o título excessivamente longo “Mandela. Meu prisioneiro, meu amigo – GOODBYE BAFANA” e por isso decidi abreviá-lo como está acima e que se Bob Graham é Autor, não se dá pela sua presença pois todo o livro é escrito na primeira pessoa, a do outro co-Autor, James Gregory.

 

Foi numa das minhas visitas semanais aos escaparates que decidi não esperar pelo Pai Natal e comprar logo este livro cujas badanas e Prólogo me encantaram de imediato.

 

É um livro escrito ao contrário pois começa pelo fim, ou seja, pela tomada de posse de Mandela como Presidente da África do Sul, passa para a juventude do narrador em contacto muito próximo com a civilização zulu a que pertencia o seu grande amigo Bafana e daí para o ingresso numa carreira profissional que, no caso, foi a de guarda prisional ao serviço do apartheid.

 

Dá para adivinhar o futuro quando o jovem Gregory se apresenta ao serviço na prisão de Robben Island e lhe mostram Nelson Mandela:

«- Gregory – acenou [o Chefe dos guardas que o estava a introduzir no serviço] com óbvio desdém pelo homem – este aqui é Nelson Mandela.

A voz deste era firme e directa como os seus olhos:

- Bom dia – disse – Bem-vindo a Robben Island.

A minha resposta foi pouco usual:

- Bom dia – respondi – Eu vejo-te.

Era uma frase que eu tinha aprendido há muitos anos, em criança, a crescer perto dos Zulus, uma saudação de amizade. Imediatamente parei, pensando porque raio usara esta frase, pela primeira vez, desde Ongemak.»

 

Seguem-se 20 anos de convivência em que o não muito convicto racista branco se transforma em amigo e confidente do ‘seu’ prisioneiro.

 

Curiosidade literária que a tradução portuguesa terá permitido mas que no original em língua inglesa pode ser menos evidente: o guarda sempre tratou o prisioneiro por ‘tu’ e este sempre tratou o guarda por ‘Senhor Gregory’. Foram 20 anos de respeitoso relacionamento que se foi transformando em verdadeira amizade em que sempre foi patente a superioridade intelectual do prisioneiro e que culminou com uma frase final no momento da libertação em que o emocionado guarda agradeceu dizendo «-Obrigado, senhor

 

O estilo e o conteúdo provocam alguma voracidade na leitura e é com pena que se chega ao fim. Dá para imaginar que um dia destes o Autor vai publicar a continuação da história pois não apetece ignorar o que foi a vida do guarda (o narrador) depois da libertação do prisioneiro, o que foi a vida do cidadão comum na África do Sul enquanto Mandela assumiu a Presidência da República e onde está hoje Bafana, o miúdo preto do princípio do livro e cujo nome pertence ao título.

 

Bafana esse que pertence a uma civilização em que as mulheres se enfeitam com colares de contas pois «os espíritos que nós invocamos vêm sentar-se nos laços das contas e falam apenas aos nossos ouvidos».

 

Terá certa vez dito Kobie Coetsee, Ministro da Justiça nos Governos de Botha e de de Clerk, ao apresentar James Gregory a um afamado juiz, «Este é o homem que tirou a Nelson Mandela o ódio contra o homem branco.»

 

Como a História da África do Sul poderia ter sido diferente se Nelson Mandela não tivesse sido guardado por James Gregory, o homem que pacificamente derrotou o apartheid.

 

Lisboa, Novembro de 2007

 

Henrique Salles da Fonseca

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D