Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A bem da Nação

O PROFETA LOUCO…

... OU A VOZ DA RAZÃO

 

Equator_Sao_Tome.jpg

 

 

No Ilhéu das Rolas, onde o Meridiano se cruza com o Equador, há um padrão com a Cruz de Cristo.

Foi aí que encontrei este Homem.

Estávamos sós os dois, reparei que não era negro, nem branco, sequer mestiço, era tudo isso.

Olhou para mim e disse…tu português repara bem nesse Padrão.

Foram os portugueses que o colocaram aqui no centro do Globo…padrão que foi português, que de momento não o é, mas que ninguém ousa retirar.

Tu, português, terás de entender isso…ninguém nunca terá coragem de apagar a marca do desígnio português no mundo.

Portugal não acabou, nem acabará, porque há destinos a cumprir, nobres funções a desempenhar.

Olha o mar, repara bem nele e vê aí a reserva da humanidade. Está aí o alimento, a energia, a matéria-prima, as moléculas que curarão as mais diversas doenças.

Tu, português, tens tudo na mão. Ninguém como tu, sabe compreender o mar.

Tu e todos aqueles que têm a mesma raiz, uma imensidade de povos e de Nações.

Liberta-te português, dessa tentação Continental, onde poderás encontrar a amizade, algum equilíbrio, mas nunca a solidariedade e a afinidade que te preservará a tua identidade.

Liberta-te da ilusão, da vivência sem esforço, porque não é essa a tua vocação, nem tão pouco o teu carácter.

Rompe com os espartilhos da acomodação, com a mentira dos dominadores e volta a caminhar pelos teus meios.

Portugal não é a porta de saída da Europa mas a porta de entrada da raiz lusitana.

Volta a aproximar todos os que te conheceram e reconheceram, ao ponto de adoptarem a tua língua; enaltece o passado comum, para de mãos dadas encontrarem de novo a esperança e a voltarem a transmitir a todos os demais povos.

A tua submissão, português, será a submissão de muitos mais a uma nova escravidão.

Tu que foste o primeiro a acabar com ela, terás também de ser o primeiro na luta que se irá travar contra forças poderosas que de novo a querem impor.

Só a tua sabedoria, o teu sentimento de solidariedade, a tua crença no Homem, poderá ser contraponto, a novas desgraças que os dominadores, na sua acção louca, irão provocar.

Desconfia da solidariedade de outros povos que te oferecem recursos a troco de cedências e ilusões, com os quais não tens laços de afinidade e que te dominarão, na sua presunção de superioridade.

Acredita nos teus irmãos e leva-os a acreditar em ti.

Tu, português, tens de voltar a afirmar-te …teus filhos te honrarão e muitos outros filhos te agradecerão.

Desci do morro do Padrão amedrontado.

Palavras que faziam sentido, profecias loucas? … Acontece que nunca mais as esqueci e cada vez mais as reconheço como verdade.

 

José Lima Monteiro Andrade.jpg

José J. Lima Monteiro Andrade

O QUE ELES QUEREM

Prédios.jpg

 

 

A sobre-tributação do património imobiliário preconizada pela Coligação Espúria tem objectivos múltiplos:

 

  • O PS quer reduzir o défice público para os níveis exigidos pelos nossos credores e não olha a meios para alcançar tal objectivo uma vez que o seu demagógico modelo de desenvolvimento baseado no incentivo da Procura demonstrou à saciedade não ser solução numa economia de Oferta deficitária;
  • O PCP pretende levar os proprietários ao incumprimento de modo a que a execução fiscal produza a nacionalização do património imobiliário, o que nem Vasco Gonçalves conseguiu às ordens de Álvaro Cunhal em 1975;
  • As «blocas» pretendem “apenas” destroçar a burguesia privando-a do conforto que lhe invejam.

 

Salvo melhores opiniões.

 

028.JPG

Henrique Salles da Fonseca

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D