Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A bem da Nação

SÃO APENAS VEGETAIS

 

Abade Faria.jpg

 

ABADE FARIA, O HIPNOTIZADOR

 

Trata-se do goês José Custódio de Faria, nascido em Candolim, distrito de Bardez, Goa, em 1746. Filho de Caetano Vitorino de Faria, brâmane saraswati e Rosa Maria de Souza Possuía ainda uma irmã adoptada, de nome Catarina. Os pais do abade mais tarde separaram-se, ambos aderindo à vida monástica.

 

Acompanhado do pai, chega a Lisboa em 1771 e depois de um ano vivendo na metrópole, os dois convencem o rei de Portugal, D. José, a custear os estudos de Faria sénior, Caetano Vitorino, em Roma no intuito de obter o doutorado em teologia e os de seu filho, José Custódio, como religioso. Mais tarde o próprio abade conquistaria o doutorado em teologia causando impressão suficiente no Papa de então (Pio VI), que o convidou para que realizasse um sermão na Capela Sistina, sermão esse escutado por Sua Santidade em pessoa.

 

Após essa honraria, foi a vez da rainha D. Maria I requisitar um sermão do abade. Reza a lenda que o abade Faria, ao ver audiência tão ilustre, “travou” a língua não conseguindo pronunciar palavra alguma. Seu pai, percebendo o que se passava, gatinhou debaixo do púlpito e sussurrou em concanim (a língua local goesa) ao filho: ”são apenas vegetais…corte os vegetais!”. Depois da ajuda paterna, o medo dissipou-se e o sermão seguiu tranquilamente.

 

Essa experiência curiosa causou impressão fulminante em Faria: como poderia uma simples frase fazê-lo perder o pânico momentâneo que o tomou? Estava aberto o caminho para os seus estudos sobre hipnotismo, o que geraria um dos grandes pioneiros da técnica.

 

Faria é considerado herdeiro dos estudos de Franz Anton Mesmer, o “inventor” da hipnose como conhecemos hoje. A sua visão da hipnose foi influenciada profundamente pela filosofia e ciência hindu, sendo chamada às vezes de “hipnose oriental”. É dele a noção de que a hipnose flui através do poder de sugestão do hipnotista, conceito firmemente creditado ainda hoje; Mesmer creditava a consciência hipnótica ao que chamava de “magnetismo animal”. O conceito de auto-sugestão, também em voga ainda hoje, é outra de suas contribuições.

 

É interessante notar que boa parte do vocabulário moderno ligado à hipnose moderna teve origem também nos seus estudos. Pouco depois do episódio do sermão de D. Maria I e do seu aprofundamento nos estudos científicos, Faria é implicado na “Conspiração dos Pintos”, (o equivalente da “Inconfidência Mineira” brasileira). Com isso, o abade passa a residir em Paris, em plena Revolução Francesa, onde lidera um batalhão revolucionário, o “10eme Vendémiaire”, que contribuiu para a queda da Convenção Revolucionária francesa (o Directório).

 

Chateau d'If.jpg

 

Em 1797 é preso por razões desconhecidas passando um bom tempo numa solitária do temido presídio “Chateau d’If”. Lá, passa a maior parte do tempo a praticar as suas teorias de auto-sugestão. Algum tempo depois é liberto, porém, desgosta-se ao ver que prevalecem visões opostas à sua teoria de hipnose.

 

Acusado de charlatanismo, resolve recolher-se a uma ordem monástica obscura morrendo de derrame cerebral em Paris, em Setembro de 1819. Foi enterrado em local desconhecido e até hoje a localização de seus restos bem como sua última residência permanecem um mistério.

 

Não bastasse a vida cheia de peculiaridades, Alexandre Dumas no seu “Conde de Monte Cristo” inclui o abade como um dos personagens de sua trama (Abeé Faria), dando especial atenção ao período em que o abade passou no Chateàu d'If.

 

Emerson Santiago

CRIANÇAS POBRES NA ALEMANHA

 

ACDJ-Crianças do MUNDO.jpg

 

DIA MUNDIAL DA CRIANÇA

 

Segundo a Agência Federal Alemã de Emprego, em Abril deste ano havia 1,67 milhões de crianças dependentes de segurança básica do estado. Houve um aumento de 23.000 em relação a 2014. Entre cada seis crianças, uma vive na dependência. Em toda a Alemanha 15,7% do grupo etário entre 0 e 15 anos encontram-se dependentes de auxílios estatais para poderem ver seguro o mínimo de subsistência.

ACDJ-pobreza na alemanha.jpg

 

Crianças com pais pobres sofrem as consequências de uma sociedade que não coloca a criança no centro das suas preocupações. A quota de crianças necessitadas subiu de 15% em 2012 para 15,7% em 2015. A pobreza é desigual de uns estados federados para os outros. Enquanto a quota de pobreza atinge em Berlim os 33,5%, em Bremen atinge os 32,9%, em Hamburgo os 21,7% enquanto na Baviera atinge os 7,3% e no Baden Vurtemberga os 8,5%.

ACDJ-Prof. Justo-1.jpg

António da Cunha Duarte Justo

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D