Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

SER AÇORIANO

Poça Branca
Vitorino Nemésio, homem das artes e das letras das Ilhas Atlânticas, descreve os açorianos, seus conterrâneos ...
 
“Como homens, estamos soldados historicamente ao povo de onde viemos e enraizados pelo habitat a uns montes de lava que soltam da própria entranha uma substância que nos penetra. A geografia, para nós, vale tanto como a história, e não é debalde que nossas recordações escritas inserem dos cinqüenta por cento de relatos de sismos e enchentes. Como sereias, temos uma dupla natureza: somos de carne e de pedra. Os nossos ossos mergulham no mar”.
 
A pesar de correr o risco de ser redundante ou simplória, atrevo-me a dizer que o emigrante açoriano é um corajoso, um batalhador, que mesmo na sua simplicidade demonstra ter hombridade e personalidade.
Nascido numa terra vulcânica, instável por natureza, desenvolveu intuitivamente uma percepção aguda daquilo e daqueles que o rodeiam. Tem humor lábil, como o tempo das ilhas que muda de repente, ao sabor dos ventos e das correntes. Rijo de corpo e de espírito talhados na labuta dura de tirar da terra o seu sustento, sonha com um futuro melhor. Ama o mar, que para ele é saída e entrada para o mundo e para a vida, e a ele se integra como elemento fundamental.
Ser arraigado aos seus costumes e valores, amante e ciumento dos seus e das suas coisas, dá-lhe um caráter um tanto individualista, um pouco egoísta. É da beira do cais, olhando o horizonte, onde o mar encontra o céu, que sonha o outro lado do mundo conhecer e conquistar. E quando isso acontece, lá no estrangeiro, chora saudades do “seu” lugar e fala sempre em voltar, nem que seja apenas para as raízes reencontrar ou para na lava negra dos Açores para sempre descansar.
 
Maria Eduarda

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D