Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

LÁGRIMAS DO BRASIL

FRANÇA x BRASIL

 

 

Foi muito interessante, e ao mesmo tempo triste, assistir a toda a campanha eleitoral em França, ver o novo Presidente assumir e dois dias depois apresentar o novo governo. Jovem. Experiente.

Foi interessante ver como a democracia funciona quando levada a sério, quando se vê que todos os candidatos, do menos cotado aos mais prováveis eleitos, dispõem rigorosamente do mesmo tempo de antena em todos os rádios e TVs locais. A tristeza ficou por aqui, onde os caciques políticos abocanham 98% do tempo, deixando os outros 2% a dividir pelos restantes “n” candidatos. Tudo dentro da legalidade! Pudera não: ELES são a lei!

Finalmente elegeram o candidato que desde o início vinha na liderança da opinião pública. Em menos de um mês o novo Presidente já fez mais, só tendo assumido o comando do país há três dias, do que o nosso grande líder em quase cinco anos. Dois dias depois de assumir a Presidência o novo Governo era apresentado aos franceses e ao mundo.

Não foi necessário, como aqui, negociatas nem cambalachos com outros partidos para dividir o bolo, mas juntar uma equipa capaz de exactamente não o dividir, mas mantê-lo o mais coeso e intacto possível.

No Brasil passados quase oito meses desde a eleição que definiu o “repetente”, o que continua a tomar conta dos propósitos dos (des)governantes é saber - negociar - a quem entregar os ricos lugares de presidentes, directores, assessores e outros penduras de uma quase infinda série de empresas e organismos estatais. A qual apaniguado, a qual adversário para lhe calar a boca, enchendo-a de possibilidade de se afogar em ladroagem. Qualquer “cara” (des-carado) muda de partido se necessário várias vezes por ano para ver onde se consegue melhor encaixar para “desencaixar” no caixa público!

Em França, Sarkozy entregou alguns ministérios a competentes membros do partido socialista, sem pactuar com este, nem negociar o “pataca-a-mim, pataca-a-ti”.

A única nota suja neste espectáculo francês foi a atitude dos socialistas, ao expulsarem um dos seus mais activos e capazes dirigentes, só por que este aceitou fazer parte do governo da França! Os socialistas deram uma bela (triste) demonstração de que a sua intenção ao concorrerem à Presidência não era governar para a França, mas para eles!

Vive la France e que seu Presidente mostre ao mundo como se governa.

Talvez daqui a cem anos esse exemplo possa aqui chegar!

Rio de Janeiro, 19 de Maio de 2007

Francisco Gomes de Amorim

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D