Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

COOPERAÇÃO TRANSFRONTEIRIÇA

O PADRE E OS  ESPANHÓIS

 

Numa pequena povoação, mesmo junto à fronteira entre Portugal e Espanha, a Igreja fica cheia para a missa das 10h:  portugueses,  espanhóis, o Presidente da Junta, etc.

O Padre começa o sermão:

- Irmãos estamos hoje aqui reunidos para falar dos Fariseus... Aquele povo
desgraçado como esses espanhóis que estão aqui...

  Ohhhhhhh!!!!

O maior tumulto tomou conta da igreja. Os espanhóis ofenderam o padre, houve porrada na porta da igreja. O Presidente da Junta levou as mãos à cabeça, indignado.

Acabada a confusão, o Presidente da Junta foi falar com o padre na sacristia:

- Sr. Padre,  vá devagar, os espanhóis vêm para este lado, gastam nas lojas,
nos restaurantes, trazem divisas para Portugal. Não faça mais  provocações
.

Durante a semana a conversa entre todos era a mesma: o Padre e o sermão de Domingo. Aquele zum-zum-zum todo foi fazendo com que as pessoas ficassem curiosas e a querer saber mais sobre o que tinha acontecido.

Finalmente, chega o Domingo. O Presidente da Junta chega à sacristia e fala com o Padre:

- Padre, o Senhor lembra-se da nossa conversa, não? Por favor, não arranje nenhum problema hoje,  ok?

Vem a missa e o Padre começa o sermão:

- Irmãos . . . Estamos aqui reunidos hoje para falar de uma pessoa da Bíblia:
Maria Madalena. Aquela mulher, a prostituta que tentou Jesus, como essas
espanholas que estão aqui . . .


Caldeirada geral: pancadaria na igreja,  partiram velas nos corredores,  
chapadas, socos e alguns internamentos no SAP da povoação. O Presidente da Junta foi novamente ter com o Padre:

- Padre, o senhor não me disse que iria com mais calma? ... Se o senhor não
amansar, vou escrever uma carta ao Bispo e pedir a sua retirada imediata !


Naquela semana, o tumulto era maior ainda. As conversas eram maiores ainda.
Ninguém iria perder a missa do Domingo seguinte nem que a vaca tossisse. Na manhã de Domingo, o Presidente da Junta entra na sacristia com a Polícia e adverte o Padre:

- Sr. Padre, não provoque desta vez, senão acuso-o de provocação de tumulto e vai dentro!!

A igreja estava abarrotada. Quase não se conseguia respirar de tanta gente. Começa o sermão:

- Irmãos . . . Estamos aqui reunidos hoje, para falar do momento mais importante da vida de Cristo: a Santa Ceia

O Presidente da Junta respirou aliviado . . .

- Jesus, naquele momento, disse aos apóstolos:" Esta noite, um de vocês trair-me-á.” Então João pergunta: “Mestre, sou eu?” 
E Jesus responde: Não, João, não serás tu”. Pedro pergunta: “Mestre, sou eu?” E Cristo responde: “Não, Pedro, não serás tu.” Então Judas pergunta:   “Mestre, soy Yo? . . .”

A PORRADA FOI GERAL !!!!!

  Os pássaros não respeitam as fronteiras

-  *  -  *  -  *  -

Esta anedota foi-me enviada por um diplomata amigo que, sem  pedir o anonimato nem me dizendo fosse o que fosse nesse sentido, me deixou a liberdade de interpretar o seu silêncio como melhor me parecesse. Pareceu-me conveniente optar pela actual solução em que sou eu a assumir integralmente esta perspectiva de que as relações transfronteiriças sempre foram matéria de alguma subtileza.

Se a evidente crispação transfronteiriça não fosse uma realidade um pouco "urbi et orbi" onde duas culturas geograficamente se tocam, poderiamos tomar esta peça como uma simples anedota. Não creio que o devamos fazer com tão grande simplicidade.

Lisboa, Março de 2007

Henrique Salles da Fonseca

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D