Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

CRÓNICAS DO BRASIL

PAC 3

 

Este PAC, o tal Plano de Aceleração do Crescimento, progride como um verdadeiro colírio para os ouvidos, mesmo com o perdão dos médicos. Para os olhos não é, porque nada se vê.

O Governo, o mesmo, que retomou posse dia 1° de Janeiro, ainda não está formado. O nosso grande líder ainda não acabou de escolher todos os membros do seu Governo. Faltam ministros, ministérios não faltam. São vinte e um! O grande líder tem estado de férias – o que é um bem para o país – e alguns dos ministeriáveis também continuam no descanso. Parece que os trabalhos vindouros serão pesados!

Voltemos ao PAC. Ao revés do que seria de imaginar, o PAC sair do consenso e necessidades dos Estados, e em cada Estado dos Municípios, não saiu. Nós, que temos imaginação demasiado fértil, é que pensamos que assim deveria ser. Mas o nosso grande líder não pensa nem assim, nem de outro jeito. Enquanto esteve – e está – de férias, a dona Dilma, chefa do gabinete do dito, sozinha, elaborou o Plano. Grande dona. A prática destes planos, e de outros, como assaltos a residências e bancos e sequestros de pessoas, tem ela de sobra, do tempo que era do contra. Agora que é a favor não necessita da opinião de ninguém para elaborar um plano de desenvolvimento de um país deste tamanho, tendo-se esquecido, no meio de tanta preocupação – o que é natural, coitadinha da dona Dilma – do Meio Ambiente!

 

Tudo isso não pode causar espanto para quem sempre se moveu tão bem em qualquer ambiente.

 

Além disso a preocupação chave no momento (pode ler-se também “Chavez”!) é levar toda a administração do país a pensar, e agir, em termos soviéticos, tentando alcançar o tremendo êxito dos países que atravessaram essa experiência, como os que compunham a falecida URSS, e ainda a Coreia do Norte, Cuba, e em breve, a Venezuela. A Bolívia está numa sinuca sem bolas, a Argentina a caminhar para pior do que no tempo de Peron e o Brasil, aahh, o Brasil, continua a sambar com PACs e sonhar com futuro! Sambar é fácil, sonhar é ainda mais, mas redistribuir renda... isso, tá quieto.

 

Dá-se o Bolsa Família, dão-se refeições populares por R$ 1,00 (com contratos, sempre chorudos entre o fornecedor das refeições e os governantes! O trivial), desarmam-se as Forças que deviam ser Armadas, procura-se mentalizar as populações carentes que o paraíso está a chegar, e nos entrementes o que foi já Governo nem sequer sabe ser oposição e vão-se vendendo, individualmente, ao grande líder para que este obtenha maioria na Câmara dos Deputados e possa depois fazer o que lhe derem (não é o que lhe der) na gana.

 

O partido que podia, e devia, fazer frente ao PT, foi implodido por ambições pessoais e não tem mais salvação, de modo que os PTs da vida navegam nas águas que querem. Por quanto tempo ainda? Há dois anos o big líder foi ao Gabão, um país que não tem o mínimo interesse para o Brasil, para perguntar ao Sr. Bongo como se faz para ficar quarenta anos no poleiro!

 

  Que tisnado anda o Chavez. Ou será o Fidel depois de mexido pelos médicos espanhóis?

O Chavez já afirmou que quer ficar vinte e cinco. Como não tem mais câmara de deputados porque estes bestalhoides lhe deram carta branca para governar por decretos, que pode ficar até morrer. Como o Fidel. Aqui? Comprados todos os pseudo adversários... não é necessário chegar a tanto. A Câmara aprovará tudo em troca de privilégios. Uma festa.

Rio de Janeiro, 6 de Fevereiro de 2007

Francisco Gomes de Amorim 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D