Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

CRÓNICAS DO BRASIL

PAC 3

 

Este PAC, o tal Plano de Aceleração do Crescimento, progride como um verdadeiro colírio para os ouvidos, mesmo com o perdão dos médicos. Para os olhos não é, porque nada se vê.

O Governo, o mesmo, que retomou posse dia 1° de Janeiro, ainda não está formado. O nosso grande líder ainda não acabou de escolher todos os membros do seu Governo. Faltam ministros, ministérios não faltam. São vinte e um! O grande líder tem estado de férias – o que é um bem para o país – e alguns dos ministeriáveis também continuam no descanso. Parece que os trabalhos vindouros serão pesados!

Voltemos ao PAC. Ao revés do que seria de imaginar, o PAC sair do consenso e necessidades dos Estados, e em cada Estado dos Municípios, não saiu. Nós, que temos imaginação demasiado fértil, é que pensamos que assim deveria ser. Mas o nosso grande líder não pensa nem assim, nem de outro jeito. Enquanto esteve – e está – de férias, a dona Dilma, chefa do gabinete do dito, sozinha, elaborou o Plano. Grande dona. A prática destes planos, e de outros, como assaltos a residências e bancos e sequestros de pessoas, tem ela de sobra, do tempo que era do contra. Agora que é a favor não necessita da opinião de ninguém para elaborar um plano de desenvolvimento de um país deste tamanho, tendo-se esquecido, no meio de tanta preocupação – o que é natural, coitadinha da dona Dilma – do Meio Ambiente!

 

Tudo isso não pode causar espanto para quem sempre se moveu tão bem em qualquer ambiente.

 

Além disso a preocupação chave no momento (pode ler-se também “Chavez”!) é levar toda a administração do país a pensar, e agir, em termos soviéticos, tentando alcançar o tremendo êxito dos países que atravessaram essa experiência, como os que compunham a falecida URSS, e ainda a Coreia do Norte, Cuba, e em breve, a Venezuela. A Bolívia está numa sinuca sem bolas, a Argentina a caminhar para pior do que no tempo de Peron e o Brasil, aahh, o Brasil, continua a sambar com PACs e sonhar com futuro! Sambar é fácil, sonhar é ainda mais, mas redistribuir renda... isso, tá quieto.

 

Dá-se o Bolsa Família, dão-se refeições populares por R$ 1,00 (com contratos, sempre chorudos entre o fornecedor das refeições e os governantes! O trivial), desarmam-se as Forças que deviam ser Armadas, procura-se mentalizar as populações carentes que o paraíso está a chegar, e nos entrementes o que foi já Governo nem sequer sabe ser oposição e vão-se vendendo, individualmente, ao grande líder para que este obtenha maioria na Câmara dos Deputados e possa depois fazer o que lhe derem (não é o que lhe der) na gana.

 

O partido que podia, e devia, fazer frente ao PT, foi implodido por ambições pessoais e não tem mais salvação, de modo que os PTs da vida navegam nas águas que querem. Por quanto tempo ainda? Há dois anos o big líder foi ao Gabão, um país que não tem o mínimo interesse para o Brasil, para perguntar ao Sr. Bongo como se faz para ficar quarenta anos no poleiro!

 

  Que tisnado anda o Chavez. Ou será o Fidel depois de mexido pelos médicos espanhóis?

O Chavez já afirmou que quer ficar vinte e cinco. Como não tem mais câmara de deputados porque estes bestalhoides lhe deram carta branca para governar por decretos, que pode ficar até morrer. Como o Fidel. Aqui? Comprados todos os pseudo adversários... não é necessário chegar a tanto. A Câmara aprovará tudo em troca de privilégios. Uma festa.

Rio de Janeiro, 6 de Fevereiro de 2007

Francisco Gomes de Amorim 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D