Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

Do Brasil, com saudade

A Mitra, a Universidade de Évora e o IPPAR

 

Há bem mais de meio século saí daquela maravilhosa Escola de Regentes Agrícolas de Évora. Nela se formaram tantos homens para a vida, e onde os professores, honra e mérito primeiros para o antigo Director e maior Amigo, o engenheiro Augusto de Matos Rosa, além de ensinarem, defendiam e lutavam, sem baixar os braços, para a conservação do património, arquitectónico e histórico, daquela antiga propriedade que, in illo temporae, pertenceu à Mitra Eborense, donde o seu nome: Herdade da Mitra.

Com a reabertura da Universidade em Évora, aquele estabelecimento de ensino foi nela incorporado e, parece, as suas instalações destinadas à investigação. Até aqui tudo bem.

Mas e o património histórico e arquitectónico (Monumento Nacional?) o que fizeram dele? Entregue à deterioração. ABANDONADO!

Ao abrir a página da web da Universidade de Évora aparece um painel de azulejos, moderno, da autoria do Prof. Nuno Mendonça que estará no Colégio da Mitra. E os edifícios históricos, parte deles únicos no país, séculos XVII e XVIII, totalmente abandonados, quando não destruídos uns quantos? Um ambiente de tristeza invade qualquer um que veja o estado a que chegou o que era, há pouco tempo ainda, além dum cartão de visita, o orgulho também dos alunos que ali estudaram.

O tanque de água, circular, com uns 12 a 15 metros de diâmetro e mais de 2 de fundo, que nos serviu de piscina, único daquele género no país, tinha cinco estátuas de pedra todas em “tamanho natural”: uma de Moisés no centro e quatro à volta, com os profetas. Estas quatro... desapareceram! Estarão guardadas para restauro ou simplesmente deixadas roubar?

E as capelas da antiga horta? Pequenas quase preciosidades. Destruídas. E assim quase todo o restante com excepção do chamado, no antigamente, Colégio Velho, pequeno mosteiro para padres ou monges, ultimamente adaptado para receber com algum luxo professores e visitantes. Neste se encontra uma capela, pequenina, linda, toda em mármore... abandonada também.

A culpa é de quem? Da Universidade ou do IPPAR? Talvez porque muitos mandem ninguém se responsabiliza? E o problema é que este estado de abandono geral está assim há pelo menos quinze anos!

Pobre país pobre, que se dá ao luxo de deixar perder o pouco de história e património que lhe sobra!

 

Rio de Janeiro, 12 de Julho de 2006

Francisco Gomes de Amorim

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D