Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

O ALFA E O ÓMEGA – O PRINCÍPIO E O FIM

 

 

Quando se retira a última folhinha do calendário, as pessoas desejam-se umas às outras um bom Ano Novo como se o tempo se dividisse em folhas A4, correspondendo cada uma delas a um ano civil. Se assim fosse, cada folha teria a sua cor e nós, virando a folha, encontraríamos uma folha de outra cor, sobre a qual nada saberíamos, porque o futuro a Deus pertence, como dizia a minha avó.

 

Então, o que nos resta é a esperança, que é a chefe das virtudes.

 

A fé só existe se tivermos esperança em algo ou em alguma coisa. Temos, por isso, esperança em que o novo ano seja melhor do que o anterior.

 

Na verdade, a esperança rege toda a vida humana. Saímos de casa e vamos com a esperança de que cheguemos à paragem antes do transporte público. À entrada do emprego, temos a esperança de que o Chefe tenha acordado para o lado certo e que esteja de bom humor. Podíamos referir mais um milhão de ocasiões em que somos mantidos de pé, a andar ou a fazer outras coisas, porque guiados pela esperança.

 

Como o ano mudou recentemente, poderá não ser descabido reflectir sobre esta divisão do tempo em anos.

 

O tempo não tem princípio nem fim. Podem os cientistas dizer que o Universo tem mil milhões de anos, que eu não acredito que seja nesse princípio o começo do tempo. Se antes disso não existia nada, o que é que havia? Ou seja, o que é o nada?

 

Para mim, o nada não existe. Pode até haver matéria e anti-matéria, isto é, moléculas que se anulam. Não acredito que desse fenómeno fique o nada, porque o nada não existe, não cabe na inteligência do homem. Mesmo que fique um buraco, um buraco é alguma coisa. A confirmar este raciocínio rebelde, «algo» fez o Universo, que não existia há mil milhões de anos. Então, antes disso, já existia esse «algo», logo não se pode dizer que não havia nada. E seguindo este raciocínio, esse «algo» não teve princípio, porque teria de ter havido um outro «algo» antes, que tivesse feito este último «algo».

 

Logo, devemos concluir que o tempo não teve princípio nem terá fim, porque tudo acabaria no nada e o nada não existe.

 

Costumamos dizer que o tempo corre muito depressa, mas, na realidade, somos nós que andamos sobre ele, que deslizamos ao longo dele.

 

A ser assim, o virar da tal folha do calendário não representa, só por si, qualquer mudança para melhor ou para pior.

 

Faro, 13-01-2014

 

 Tito Olívio

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D