Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

CORREIOS: DESCARAMENTO E CINISMO

 

 

Os Correios  de Portugal sempre foram uma instituição pública que funcionou razoavelmente bem, em tempos antigos muito bem.

 

Na presente fúria de privatizações - que já vi ser designada privataria - verdadeira delapidação do património público e destruição de serviços públicos, para dar chorudos negócios a privados, à custa dos cidadãos, chegou agora a vez dos Correios, os CTT. Para o negócio ser ainda mais chorudo para os novos donos, reduzindo custos – sempre à custa dos cidadãos – começaram, com o maior descaramento, por extinguir dezenas de estações com muito movimento, obrigando, desde já, milhares de pessoas a deslocarem-se a longas distâncias. Os novos donos não terão de fazer, depois, esse trabalho sujo. Falo com experiência própria e não vivo nos confins do Alentejo ou de Trás-os-Montes, mas numa importante vila do distrito de Lisboa.

 

A esta descarada acção, segue-se o que pode ser considerado grande cinismo. Depois de ter degradado o serviço com a referida extinção de dezenas de estações, com grandes prejuízos para os utentes, os CTT escreveram-lhes, a dar-lhes uma oportunidade – “Esta oportunidade é dirigida a si”  - a tentar vender-lhes fracções da empresa que ainda lhes pertence, como donos do património do estado. Se ainda antes de lhes terem tirado os Correios, já estavam a degradar o serviço, imagina-se o que será o futuro!

 

Não admira que o 25 de Abril  tivesse feito com que muitos dos antigos oposicionistas – não comunistas – passassem a preferir a anterior ditadura, que até tirou o país duma situação quase tão má como a actual e não causou à grande massa da população esta escandalosa perda do seu nível de vida, com uma gestão extremamente – e deliberadamente? - danosa.

 

 

Miguel Mota

 

Publicado no "Linhas de Elvas" de 5 de Dezembro de 2013

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D