Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

NOTÍCIAS FRESCAS... E PODRES

 

Lamento, mas notícias boas, desta terra... é coisa rara. Daqui a dias vou falar um pouco sobre um grande instituto de pesquisas, orgulho de qualquer país, porque está (quase) isento da política e é conduzido por técnicos de alto gabarito.

 

Mas, mexeu na política, fede, apodrece, estraga, não evolui, e o maravilhoso país “onde plantando tudo dá” estagna e atrasa.

 

O PIB, o famoso PIB é um joguete nas mãos do des-governo (total e absoluto); em 2012 cresceu somente 0,9%. Uma miséria e uma vergonha, e só chegou a esse “altíssimo” valor mercê das exportações de comodities e de manobras contabilisticas muito escusas. O tal des-governo decidiu então fazer as contas de outra maneira e, vejam o milagre da “multiplicação dos PIBs”: afirma agora que afinal cresceu MUITO mais! Não cresceu só 0,9%, mas sim 1,0%. A diferença é abissal. Isto da matemática tem muito que se lhe diga.

 

MARAVILHA!

 

Este ano os crâneos des-governamentais afirmavam que em 2013, no mínimo, teríamos um crescimento de 4,5%. As melhores previsões, pelos sábios das ciências económicas, apontam para 2,2%. Isto, se...

 

Entretanto acaba agora de ser divulgado um estudo sobre a educação, feito em 65 países. Ganhou a China, Hong Kong, Coreia, etc. que assim têm a melhor educação do mundo. O Brasil com a maestria deste famigerado des-governo conseguiu classificar-se em 58° lugar, mas não deixa de afirmar que os negros são marginalizados! Evidente. Não têm dinheiro muitas vezes nem para comer vão pagar uma escola particular? Quem sabe se para o ano, em próximo estudo ficaremos em 59°. Haja esperança para subir na escala descendente da vergonha e do absentismo.

 

No ranking mundial da corrupção também fomos bastante beneficiados com um “aumentozinho” de posição: entre 177 países, deixámos o vergonhoso 69° lugar para ficarmos, em 2013, em 77°.

 

Mas não há-de ser nada. A corrupção continua. Todos os dias, em todos os sectores.

 

Em economia doméstica também não vai mal: o nível de poupança do povo atingiu o mais baixo nível dos últimos 13 anos. E dizem que a classe média está fulgurante. Não será uma classe mér... fu...?

Histórias bonitas mesmo, e comoventes, para se entender a solidariedade entre bandidos, são estas:

 

1.- Os chefes do tráfico de drogas pagam pensão vitalícia a quem matou algum policial. O cara vai para a cadeia mas a família fica na maior. Bonito, hein?

 

2.- O super chefe do famosérrimo escândalo do Mensalão, o dirceuzinho, está com prisão domiciliar, o que significa que está COMPLETAMENTE à solta, e para não ficar sem fazer nada, ao coitado, que é milionário, arranjaram-lhe um empreguito: gerente dum hotel em Brasília com o salário de R$ 20.000, para gerente administrativo, quando a gerente geral ganha R$ 1.800. Beleza pura. Mas sempre há um tal de jeitinho brasileiro nestas coisas. O dito hotel é que costuma hospedar, de borla, o “sapo-barbudo” quando vai a Brasília – e vai lá a toda a hora dar ordens à madama dona presidentA. Coincidência, hein? Mas tem mais. O capital da “empresa” dona do hotel é composto de 500.000 ações. Tudo bem. O diretor, administrador, dono, etc. dessa “casa de passe, em 500.000 ações, só tem 1, isso mesmo, umazinha! O resto pertence a uma sociedade com sede no Paraguai que ninguém conhece, e onde vive, quase numa favela, um “laranja” sócio, pobre, claro está, que... nunca ouviu falar em tal sociedade. Só sabe que é sócio dumas 1.000 empresas mas que não sabe nem nomes nem o que são.

 

Também não precisa saber. O tal dono daquela umazinha e seu querido irmãozinho são proprietários de não sei quantas emissoras de rádio no país – que são de alto rendimento financeiro – e cujas concessões dependem do governo.

 

Ora vejam lá se não é perfeitamente acertado pagar vinte mil ao bandido para que ele continue a colocar a sua corrupta e protetora mão na cabeça de tão generoso patrão e seu maninho.

 

Bom, e “a gentxe vai levando...”, o PT não vai largar a mamata, nem mesmo que chamem o Papa Francisco para concorrer às eleições do ano que vem.

 

Brasil “o país do futuro”! Stefan Zweig sabia que ia morrer logo e assim considerou o tal futuro enquadrado na eternidade onde agora descansa.

 

Enganou-se.

 

4-Dez-13

 

 Francisco Gomes de Amorim

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D