Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

DEVANEIOS

 

NOVA FORMA DE ENERGIA NO HORIZONTE

 

 

O domínio da Tecnologia está em fluxo numa constante evolução, dir-se-ia em plena revolução. Cientistas e tecnólogos mostram-se impacientes e insatisfeitos. Dia e noite sonham com novas descobertas através de intensas pesquisas.

 

No horizonte industrial e tecnológico desponta uma novíssima fonte de energia eléctrica, em substituição de modalidades existentes. Assim, além da energia de algas unicelulares, do sistema fotovoltaico e do sistema hélio-térmico, já anteriormente discutidos, anuncia-se a promissora utilização de energia gerada por células combustíveis de hidrogénio (hydrogen fuel cells).

 

Há mais de 10 anos que DOE (Department of Energy / Secretaria de Estado de Energia, dos EUA) foi gastando US$ 1,5 biliões na pesquisa e no desenvolvimento da nova fonte revolucionária à base de células combustíveis de hidrogénio. De momento, esta novíssima energia limita-se quase exclusivamente às grandes empresas fabricantes de veículos automóveis com marcas altissonantes, tais como: Toyota, Renault/Nissan em conjunto com Daimler/Ford, General Motors e Honda. De 2015 a 2020, esses fabricantes vão comercializar seus novos autos a hidrogénio na seguinte escala: Toyota em Novembro de 2015 na grande Feira de Tóquio; Renault-Nissan/Daimler-Ford em 2017; General Motors em 2020 em associação com uma empresa não anunciada e a Honda que projecta o lançamento dos seus autos em 2015.

 

Como explicar esta corrida para o lançamento de automóveis a hidrogénio? É simples, a resposta. No Estado de Califórnia em 2022 apenas será permitida a circulação de automóveis híbridos ou com 0% de emissão poluidora do ambiente. A capacidade motriz de automóveis a hidrogénio atingirá 254 milhas (uns 400 km) com o tanque cheio de células combustíveis de hidrogénio, mesmo que, em termos dum galão de gasolina, os motores a hidrogénio saiam 2 ou 3x mais dispendiosos, taxa que posteriormente será muito reduzida segundo a Secretaria de Estado de Energia (citado DOE). Será reduzida a emissão de dióxido de carbono e a poluição ambiental.

 

Os fabricantes de automóveis a hidrogénio não desvendam como se obtém a nova fonte de energia. Porém todos eles confiadamente apostam que os veículos a hidrogénio dominarão o comércio mundial de veículos automóveis nas próximas décadas. Embora na Natureza o hidrogénio seja muito abundante, o hidrogénio utilizado provém do gás natural, donde são extraídos os electrões das células combustíveis para acionar os motores.

 

O atraso na comercialização de carros a hidrogénio é causado pela falta de postos de abastecimento. Previa-se que o problema seria vencido em 2010. E de momento apenas operam 3 postos de abastecimento de células combustíveis de hidrogénio e nove outros estão em acabamento. Cada um destes postos de abastecimento custa US$ 3 milhões. O Governo do Estado de Califórnia está empenhado na criação de 100 postos de abastecimento, pelo que no orçamento anual inscreve US$ 20 milhões.

 

Através dos EUA os postos de abastecimento à base de produtos petrolíferos contam-se em 170.000 e sua eventual substituição custará ao Pais US$ 512 biliões. Automóveis accionados por gasolina, nos EUA, numeram uns 250 milhões

 

Na União Europeia, a Alemanha vai construir 50 postos de abastecimento de automóveis a hidrogénio. Enquanto o Japão propõe criar outros 100 desses postos de abastecimento.

 

Alea jacta est – já dizia César na antiga Roma – e os próximos tempos darão o seu veredicto final. Ainda não se explorou o uso da nova fonte de energia eléctrica pelas empresas comerciais e industriais.

 

Alcobaça, 23.09.2013

 

 Domingos José Soares Rebelo

 

 

 

Fonte: FORTUNE, Vol. 168, nº 4, 02.09.2013

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D