Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

FORAM MARÍTIMOS… 2

 

 

Do catálogo da Exposição que em 2010 comemorou em Tavira o centenário da República constam cinco personalidades centrais de todo o processo de transição e consolidação do novo Regime e, contudo, uma delas era monárquica.

 

Nenhum foi marítimo nem mecânico mas alguns tiveram interesses pessoais ou familiares nas pescas. De notar, contudo, que nenhum deles teve profissão vil conforme critério tavirense do início do séc. XVIII.

 

  Zacarias José Guerreiro nasceu em Mértola em 1859 e faleceu em Santa Luzia (Tavira) em 1918; cofundador do Centro Republicano de Tavira, foi o primeiro Governador Civil republicano de Faro, cargo que desempenhou entre 15 de Outubro de 1910 e 22 de Setembro de 1911; Presidente da Câmara Municipal de Tavira entre 29 de Dezembro de 1916 e 2 de Janeiro de 1918.

 

 Tomás Cabreira - de seu nome completo Tomás António da Guarda Cabreira, nasceu em Tavira em 1865, faleceu também em Tavira em 1918 e chegou a Ministro das Finanças, cargo que exerceu entre 9 de Fevereiro de 1914 e 23 de Junho do mesmo ano. Militar, teve a sua formação na Escola do Exército onde se licenciou em Engenharia e na Universidade de Coimbra, onde frequentou o curso de Ciências Matemáticas. Da sua carreira académica salienta-se o Doutoramento em 1916 na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa onde leccionou as disciplinas de Química Mineral e Orgânica, sendo depois nomeado professor definitivo do mesmo estabelecimento de ensino. Regista-se também o facto de ter sido um dos fundadores da Academia das Ciências de Portugal e da Universidade Popular de Lisboa. Na perspectiva militar, Tomás Cabreira atingiria o posto de Coronel do Exército, em 1918, ano da sua morte.

 

Na política, foi Vereador em 1908 da Câmara Municipal de Lisboa e Deputado pelo Algarve às Constituintes, em 1911; em 1912 foi Senador e em 1914 foi Ministro das Finanças. Fundou a União da Agricultura Comércio e Indústria.

 

    Silvestre Falcão, de seu nome completo Silvestre José Falcão de Sousa Pereira de Berredo, nasceu em Castro Marim em 1866 e morreu em Lisboa em 1927. Licenciado em medicina pela Universidade de Coimbra, teve acção relevante no Comité Académico da Revolução de 31 de Janeiro. Ainda durante a vigência da Monarquia foi cofundador do Centro Republicano de Tavira; foi o primeiro Governador Civil republicano de Coimbra após o que foi eleito Deputado pelo Partido da União Liberal. Foi Ministro do Interior de 12 de Dezembro de 1911 a 4 de Junho de 1912. Depois de se retirar da actividade política, foi médico municipal de Tavira durante longos períodos.

 

 

A toponímia tavirense homenageou-o em 1982.

 

 António Cabreira, de seu nome completo António Tomás da Guarda Cabreira de Faria e Alvelos Drago da Ponte nasceu em Tavira em 1868 e faleceu em Lisboa em 1953.

 

Monárquico militante, era irmão do republicano Tomás Cabreira, formou-se em Matemática pela Escola Politécnica de Lisboa e na política participou em várias reivindicações estudantis, foi redator político de A Nação e, entre 1892 e 1897, exerceu vários cargos no Partido Legitimista.

 

Sócio da Sociedade de Geografia de Lisboa, participou nas atividades de exaltação colonial e nacionalista que surgiram em consequência do Ultimato.

 

Fundador do Instituto Dezanove de Setembro, dedicou-se à gestão e à docência nessa instituição cuja delegação em Tavira ministrou o ensino gratuito. De notar neste particular que, sendo a instrução uma causa política eminentemente republicana, quem mais por ela fez em Tavira foi, afinal, um monárquico.

 

  António Padinha, de seu nome completo António Fernando Pires Padinha nasceu em Tavira em 1868 e faleceu também em Tavira em 1916.

 

Formou-se em medicina na Universidade de Coimbra onde absorveu as ideias republicanas contrárias às do pai, o monárquico José Pires Padinha, que fora Presidente da Câmara Municipal de Tavira entre 1886 e 1889.

 

Na sequência da Revolução de 1910, assumiu a Presidência da Câmara de Tavira exercendo três mandatos entre 1910 e 1916. Foi sob a sua presidência que se elaboraram os projectos e se lançou a execução da electrificação da cidade, a construção de nova cadeia (na Rua da Liberdade), o novo matadouro e o cemitério municipal que substituiu os dois cemitérios religiosos (o de S. Francisco e o do Carmo).

Como nota complementar e final, refiro que foi durante a 1ª República que se procedeu à instalação de fábricas de conservas de peixe, em especial de atum, com o objectivo inicial de se fornecer alimentação conveniente às Forças Expedicionárias Portuguesas na Flandres durante a Grande Guerra de 14-18. Algumas das personalidades referidas participaram directa ou familiarmente na constituição dessas unidades industriais e do respectivo aprovisionamento. Por exemplo, o Dr. António Padinha foi um dos «Três Irmãos» que constituíram a Armação do Barril.

 

Tavira, Agosto de 2013

 

  

  Henrique Salles da Fonseca

 

BIBLIOGRAFIA:

 

Catálogo da Exposição “1ª República em Tavira”, Museu Municipal de Tavira, ed. Câmara Municipal de Tavira, 2010

Sobre Zacarias Guerreiro - Wikipédia

Sobre Tomás Cabreira - Wikipédia

Sobre Silvestre Falcão – Wikipédia

Sobre António Cabreira – Infopédia

Sobre António Padinha – VIVA TAVIRA

8 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D