Domingo, 6 de Junho de 2010
Um tema caprino

 

 

O amor da liberdade

Não é compatível com a democracia

Que informa que a liberdade acaba para um

Onde começa a liberdade do outro um.

Embora não seja tão verdade assim,

Parece-me a mim,

Com tanta falta de respeito

Como preceito.

No tempo de La Fontaine

Em que a democracia não existia,

Segundo parecia,

A sua fábula d' As duas Cabras

Prova-o sobremaneira.

Mas, se pensarmos bem,

Hoje em dia também,

Quer se queira ou não se queira,

A democracia é só uma balela

De gente tagarela.

Vejamos, pois, a fábula

"As duas Cabras" da minha cábula:

 

Mal as Cabras acabaram de pascer

Certo espírito de liberdade o seu Destino

As faz procurar: partem em viagem

Para os lugares da pastagem

Menos frequentados pelo ser humano

Nem sempre humano:

Ali, onde lugar houver

Sem estrada e sem caminhos,

Mas sim um rochedo, um monte

Vergado em precipícios,

É onde estas damas

Vão passear seus caprichos

Em busca de benefícios.

Nada pode deter

Este animal trepador.

Duas Cabras, pois, se emanciparam,

Ambas tendo pata branca;

Cada uma por sua banda

Os baixos prados largaram:

Uma contra a outra caminhava

Ao acaso do passeio.

Um rio ali de permeio

Tinha uma prancha por ponte.

Duas doninhas somente

Se poderiam cruzar

Sinuosamente

E de fronte, sobre esta ponte.

A rápida onda e o fundo rio

Deveriam fazer tremer

As amazonas de receio

Pelo seu desvario.

Apesar de tantos perigos, uma das ditas donzelas,

Com ar sagaz

E sem mais aquelas,

Pousa um pé sobre a prancha, e a outra o mesmo faz

Da outra banda.

Imagino ver, contra Luís o Grande Filipe Quarto avançar

Para a ilha da Conferência.

Paciência!

Assim passo a passo avançavam

Nariz contra nariz As nossas aventureiras

Que, ambas altaneiras,

Até ao meio da ponte não quiseram

Uma à outra ceder.

Elas tinham a glória

De contar, na sua raça, segundo reza a história,

Uma, certa Cabra de mérito sem par,

Com que Polifemo presenteou Galateia;

E a outra a Cabra Amalteia

Que a Júpiter amamentou.

Como nenhuma recuou

A queda foi inevitável:

Ambas à água caíram

E nem sequer baliram

A chamar pelas mães

Sem tempo para tais ais,

Ou mé més, como se queira dizer,

O que foi bem detestável.

 

 http://environnement.ecoles.free.fr/fables_de_la_fontaine/images/Les%20deux%20chevres.jpg

 

Este acidente não é invulgar

No caminho da Fortuna,

Da Sorte, Dita ou Destino,

Fado, Sina, Desatino,

Como lhe queira chamar

O Humano pequenino Pequenino.

 

Eis aqui mais uma fábula

De todos bem conhecida

De duas cabras amigas

Da liberdade

Mas não ainda

Da igualdade e da fraternidade.

Eu julgo mesmo que estas duas

Condições

Não chegarão a existir

Enquanto cada homem só a si se ouvir

Sem objecções.

Nem preciso de citar

Os exemplos que por aí

Polulam de egoísmos e falcatruas,

Para não me enervar.

A verdade é que andamos

Todos por aqui

Numa estreita ponte onde só cabe

Um de cada vez.

Mas como todos procuramos

A outra margem

Do rio que atravessamos

Todos de uma só vez,

Em vez de esperarmos,

Educadamente,

Quando nos cruzamos

Na estreita ponte,

Logo nos empurramos

E caímos

Para nos afogarmos

Indecentemente.

 

E vamos cair

E vamos cair

Embora haja sempre

Os que podem fugir,

Que podem fugir.

 

Mas também

Como apoio à lição,

Sobre o amor à liberdade

Para não referir só La Fontaine

Cito ainda a Blanquette,

A cabra do Senhor Séguin

Do conto de Daudet,

Das "Lettres de mon Moulin"

Tão amada pelo dono

Que tudo fez para que não fugisse.

Mas fugiu.

E procurou a montanha

E os seus ínvios caminhos

Por muito que lhe custasse.

A última vez

Contra o lobo lutou

Até ao amanhecer

Sem o dono lhe valer

E assim morreu

E assim morreu.

 

Berta Brás


tags:

publicado por Henrique Salles da Fonseca às 09:31
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


artigos recentes

PERU – 6

PERU – 5

PERU – 4

PERU – 3

PERU – 2

PERU – 1

ESCRITORES ESQUECIDOS

LIDO COM INTERESSE - 19

LIDO COM INTERESSE – 73

ESTAREMOS TRAMADOS ENQUAN...

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

tags

todas as tags

links
Contador

contador de visitas para site
blogs SAPO
subscrever feeds