Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2010
MEDIDAS DE POLÍTICA PARA 2010

 

PEDIDO
 
Peço-lhe que refira um máximo de dez medidas de política que, na sua opinião, resolveriam os nossos problemas. Peço-lhe também que não ultrapasse os 5000 caracteres (incluindo espaços). Mais lhe peço que me autorize a publicar as suas respostas no meu blog “A bem da Nação” em http://abemdanacao.blogs.sapo.pt/
(nome real ou pseudónimo, conforme o seu interesse)

 

M/ Caro Dr. Salles da Fonseca,
Se eu conseguisse dar cumprimento à s/ imposição (10 medidas, 5,000 caracteres), uma de duas: Ou eu era um génio; Ou Portugal não estaria tão mal como parece.
Hélàs! Eu estou a anos-luz da genialidade, e Portugal está exactamente mesmo malzinho.
Por mim, faria assim, pedindo a Deus uma paciência budista para aturar a gritaria de um povo que só quer que lhe sustentem as manias.
Se algum Leitor mais interessado tiver curiosidade em saber porquê isto ou aquilo, terei todo o gosto em expor com mais detalhe.
Abraço
APM

BURRICADAS 61 

 

 

 10? não chega...

 
A) Linhas orientadoras
v        Promover a segurança jurídica (para nacionais e estrangeiros) mediante o reforço do Estado de Direito e do Sistema de Pagamentos.

 

v        Recorrer à intermediação orçamental (lançar impostos para pagar despesa pública) só quando não houver comprovadamente alternativa.
v        Agir de acordo com o princípio: No taxation without representation.
v        Limitar o aparelho administrativo do Estado às funções de soberania.[1]
v        Centrar a acção governativa (funções de soberania à parte) na criação das condições que permitam a cada um exercer o livre arbítrio, em ambiente de segurança jurídica.
B) O que fazer
1.         Aparelho do Estado: Estabelecer um novo Contrato de Trabalho para as pessoas que preencham os Quadros dos Serviços que asseguram as funções de soberania, de forma a prevenir e punir conflitos de interesses. Estabelecer para todas as chefias na Administração Pública: uma remuneração fixa, correspondente a 75% da remuneração actual; um prémio de desempenho, até 50% da remuneração actual, consoante o desempenho; a resolução do Contrato de Trabalho, em caso de comprovada inadequação para o lugar.
2.         Educação: Desfuncionalizar o Pessoal Docente e Auxiliar. Tornar possível a livre escolha da escola. Instituir o sistema de cheque-educação. Criar a figura de Sociedade de Professores. Arrendar, mediante concurso, as instalações que hoje se encontram no Património do Estado a Sociedades de Professores. Exercer com proficiência as funções de Regulação e Supervisão.
3.         Saúde: Desfuncionalizar o Pessoal do Sector de Saúde. Separar a Prestação de Serviços de Saúde da Gestão Financeira do SNS. Contratualizar com a Rede Hospitalar Estratégica (Hospitais Centrais). Contratualizar com os restantes Hospitais, Centros de Saúde, etc. Criar um Fundo para o pagamento integral dos cuidados de saúde em caso de doença grave (que exija tratamentos especialmente custosos). Criar um Fundo para a comparticipação nos cuidados de saúde em doença crónica. Instituir o Sistema de Créditos de Cuidados de Saúde (com taxas de comparticipação regressivas) para as restantes situações de morbidade. Exercer com proficiência as funções de Regulação e Supervisão.
4.         Política Residencial: Criar Bolsas Municipais de Arrendamento. Liberalizar as rendas de casa (através de um período intercalar de “futuros” sobre o arrendamento).
5.         Propriedade: Actualizar as matrizes cadastrais urbanas. Actualizar as matrizes cadastrais rústicas. Actualizar a Base Tributável gerada pela propriedade.
6.         Mercado do Trabalho: Instituir, com carácter voluntário, a possibilidade de parte da remuneração estar contratualmente indexada aos Resultados das empresas empregadoras. Reduzir as Contribuições Sociais (do empregado e do empregador) sobre essa parcela variável das remunerações.
7.         Mercado de Capitais: Estabelecer, para o Investidor em Valores Mobiliários, a obrigação de contabilizar os ganhos e as perdas de capital. Tributar anualmente os Resultados Líquidos nas operações sobre Valores Mobiliários, com a possibilidade do reporte fiscal das perdas por um período de 4 anos.
8.         Mercado de Bens Primários: Organizar os Mercados das 1ªs Transacções dos produtos primários, dotando-os de meios físicos (armazenamento, 1ª transformação) e de contratos “futuros”.
9.         Pensões: Fixar um Limite máximo para o Regime Geral das Pensões. Desdobrar o Regime Geral das Pensões em 3 escalões, cada um com o seu prémio (taxa).
10.     Prestações Sociais: Concentrar num único Organismo o pagamento de todas as Prestações Sociais (em dinheiro e em espécie), de modo a que se conheça, permanentemente, o esforço financeiro por Beneficiário.
11.     Regime da Insolvência: Limitar o poder investigatório do Tribunal aos casos de insolvência danosa. Instituir um regime semelhante ao Cap. XI (EUA).
12.     Sistema Financeiro: Reservar a denominação social de Banco às Instituições Financeiras que integram o Sistema de Pagamentos. Proibir que as Instituições Financeiras que não integram o Sistema de Pagamento se financiem nos Mercados Interbancários (embora possam aí aplicar fundos). Exigir que os Bancos segreguem todas as actividades que não estejam directamente relacionadas com o funcionamento do Sistema de Pagamentos. Fixar exigências de capital distintas para a exposição aos riscos implícitos no Sistema de Pagamentos e aos restantes riscos a que os Bancos estejam expostos. Lançar uma Taxa Tobin sobre os fundos tomados nos Mercados Interbancários Internacionais por prazo inferior a 1 ano. Exercer com proficiência as funções de Regulação e Supervisão.
13.     Disponibilidades sobre o Exterior: Domiciliar as Reservas Cambiais (incluindo o ouro) num Fundo (Fundo de Reservas Cambiais), retirando-as do Balanço do Banco Central. Separar as funções de Regulação, Supervisão e Mutuante de Último Recurso (a atribuir ao Banco Central) da função de Gestão do Fundo de Reservas Cambiais (a contratualizar por prazo certo mediante concurso).
14.     Política de Concorrência: Contratualizar com os operadores nos mercados em que a oferta, ou a procura, estejam concentradas (ou em que os operadores tendam a conluiar-se, ainda que tacitamente, segundo o esquema “líder/seguidores”).
15.     Gestão Orçamental: Repor, como instrumentos da Gestão Orçamental, as Receitas Fiscais consignadas a fins específicos. Ampliar a utilização de dotações orçamentais reembolsáveis.
16.     Receitas Fiscais: Instituir a neutralidade fiscal entre Juros e Lucros Distribuídos (alternativamente, fixar o Resultado Operacional como matéria colectável). Cindir a Tributação Directa sobre Empresas em 2 impostos distintos: um imposto específico de actividade (a carga fiscal é um Custo Fixo); um imposto ad valorem sobre os Resultados.
17.     Despesa Pública: Fixar em 60 dias sobre a Data de Factura (a coincidir com a Data da Recepção da Mercadoria ou a Data da efectiva Prestação do Serviço) o prazo máximo de pagamento a Fornecedores. Limitar, a nível do Governo, o número de assessores contratados fora da Administração Pública.
18.     Investimentos estratégicos (não necessariamente financiados por fundos públicos): Aeroporto, como hub intercontinental. Manutenção do aeroporto da Portela, convertido no Centro Intermodal de Lisboa. Ligações ferroviárias em velocidade alta a Espanha e à Europa trans-pirenaica para o transporte de mercadorias com origem, ou destino, nos portos de mar. Portos de mar e respectivas plataformas logísticas. Desmantelamento do porto de Lisboa como porto de mercadorias (encaminhamento para Setúbal e Sines). Promoção do porto de Lisboa como centro da actividade de cruzeiros.
19.     Desenvolvimento: Todas as actividades económicas ligadas ao mar e à exploração da ZEE. Instituir medidas de incentivo à natalidade.
20.     Defesa: Revisão da Doutrina Militar adaptando-a ao tipo de conflitos que são actualmente expectáveis (participação em acções internacionais). Permanente actualização da capacidade operacional com a arma submarina.
21.     Cultura: Recuperação e conservação do Património Histórico em Portugal e no estrangeiro (aí, mediante protocolos com os países interessados). Projecção da Língua Portuguesa através de Escolas no Estrangeiro.
 A. Palhinha Machado
Janeiro de 2010


[1] Funções de soberania: Representação Externa; Defesa Externa; Administração da Justiça; Segurança Interna; Regulação; Supervisão.

 

 

tags:

publicado por Henrique Salles da Fonseca às 08:46
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18
19

21
24
25
26

27
28
29
30
31


artigos recentes

LIDO COM INTERESSE – 11 A

ADESÃO DA GUINÉ-EQUATORIA...

«GRANA PADANO»

17 HOSPITAIS NA ROTA DA Í...

LIDO COM INTERESSE - 11

CRIAR TRABALHO: O AMBICIO...

O CULTO AO ESPÍRITO SANTO...

(IR)RACIONALIDADE TRUMPIS...

MEDO OU FOBIA

DEPOIS DO…

arquivos

Agosto 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

tags

todas as tags

links
Contador

contador de visitas para site
blogs SAPO
subscrever feeds